fbpx
CAMPANHA “SINAL VERMELHO CONTRA A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA”

CAMPANHA “SINAL VERMELHO CONTRA A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA”

Neste momento de crise, mais que nunca se torna fundamental o propósito da Febrafar de melhorar a vida das pessoas e assim a empresa está buscando incentivar ações que proporcionem uma sociedade mais justa e igualitária. Exemplo é a adesão à Campanha “Sinal Vermelho Contra a Violência Doméstica” em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB).

Essa campanha busca proteger mulheres em situação de violência, uma dura realidade no Brasil. Em tempos de isolamento, essas vítimas enfrentam mais um problema: a dificuldade em denunciar os agressores.

Diante desse cenário, a Campanha “Sinal Vermelho Contra a Violência Doméstica”, auxilia as mulheres em situação de violência a pedirem ajuda nas farmácias de todo o país. O objetivo da Febrafar, é de fato, oferecer as farmácias, como um canal silencioso de denúncia.

Para desencadear o processo, a Febrafar incentivando as redes associadas e suas lojas a aderirem a esta campanha e encaminhando o material de comunicação explicativo e necessário para dar publicidade e divulgação da campanha.

Entenda a Campanha

O Conselho Nacional de Justiça idealizou esta campanha que tem por objetivo oferecer canal silencioso de denúncia à vítima que, de seu domicílio, não consegue denunciar a violência sofrida, e, ao conseguir sair, dirige-se a farmácia ou drogaria, previamente cadastrada à campanha, onde o atendente treinado aciona a polícia, de acordo com protocolo preestabelecido.

Para tanto o sinal “X”, feito com batom vermelho (ou qualquer outro material), na palma da mão (ou pedaço de papel, o que for mais fácil) permitirá à vítima que se identifique ao atendente, em farmácias e drogarias, previamente cadastradas, para o acionamento da Polícia Militar (Patrulha Maria da Penha, onde houver, ou guarda civil metropolitana);

O atendente de farmácias e drogarias, previamente cadastradas, receberão uma cartilha e um tutorial em formato visual, preparados pelo Grupo de Trabalho, instituído pela Portaria 70/2020, com as orientações necessárias ao atendimento da vítima e acionamento da polícia, de acordo com protocolo preestabelecido;

A vítima será acolhida pela Polícia Militar (Patrulha Maria da Penha, onde houver, ou guarda civil metropolitana), e, em seguida, ingressará no sistema de justiça e contará com o apoio da rede de proteção.

Estratégias de Comunicação e Divulgação

A divulgação estratégica da campanha é de fundamental importância para que sejam atingidas, efetivamente, mulheres vítimas de violência ou pessoas que possam denunciá-la.

Objetivos:

ampliação dos canais para a denúncia de crimes contra a mulher;
envolvimento do poder público, polícia civil, polícia militar, guarda civil metropolitana, iniciativa privada, sociedade civil e terceiro setor no enfrentamento de violência doméstica e familiar contra a mulher.
Temos certeza que, com o auxílio de nossas redes faremos o máximo possível para que a totalidade de farmácias previamente se cadastrem na Campanha. Assim, contamos com seu engajamento nesta ação.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.